Busca

Blog



Postado às 10:00 de 15/02/2013
por Dr Roberto Elias
em Adenomegalia Cervical, Dr Roberto Elias, Tratamentos


 
É o aumento dos linfonodos do pescoço. Motivo frequente de consulta em consultório de Cirurgião de Cabeça e Pescoço. Pode estar presente em até 45% das crianças e na maior parte dos casos é secundária à uma infecção viral.Nos neonatos raramente palpamos linfonodos, mas existe uma tendência de aumento no numero e no diâmetro dos linfonodos até a adolescência.
 
Quando os neonatos apresentam adenomegalia cervical devemos pensar em infecções congênitas principalmente causadas por citomegalovírus. Em crianças os principais diagnósticos diferenciais para adenomegalia cervical são as lesões císticas congênitas que acometem a região do pescoço, na porção lateral do pescoço o cisto branquial e na região central o cisto tireoglosso.Na maioria das vezes linfonodos aumentados de tamanho no pescoço são reacionais a algum processo inflamatório ou infeccioso locorregional como, por exemplo, faringites, amigdalites ou infecções que podem acometer a boca.
 
Os linfonodos reacionais apresentam as seguintes características: são fibroelásticos, móveis, podem ser dolorosos e tendem a regredir após a resolução do quadro infeccioso que os originou. Geralmente estão localizados na porção superior do pescoço e com frequência são bilaterais.
Linfonodos suspeitos são aqueles que apresentam aumento progressivo no diâmetro, tornam-se endurecidos e fixos a estruturas profundas. Linfonodos localizados na região supraclavicular ou em cadeias cervicais baixas também são considerados de alto risco para uma doença grave.
 
É essencial uma boa história clínica para pesquisar se existem outros sintomas associados à presença do linfonodo no pescoço, tais como palidez cutâneo mucosa, aumento do fígado e baço e presença de linfonodos em outras cadeias linfonodais como, por exemplo, mediastinal, abdominal, axilar e inguinal.
 

Causas Infecciosas

A infecção é uma importante causa de adenomegalia cervical, destacando-se principalmente as infecções agudas ou supurativas da região, e as infecções específicas como a tuberculose, mononucleose infecciosa, blastomicose sulamericana, toxoplasmose e a doença da arranhadura do gato. A tuberculose ganglionar pode apresentar-se com linfonodos cervicais e mediastinais. Geralmente são linfonodos fibroelásticos e com sinais flogísticos na sua superfície. O diagnóstico é feito com a biópsia do linfonodo e com a PCR para pesquisa da microbactéria no material examinado. A mononucleose é uma infecção viral causada pelo vírus Epstein Barr que pode cursar com adenomegalia cervical principalmente das cadeias sub occipitais e submandibulares.
 
O diagnostico é feito com hemograma no qual observamos linfocitose, pela reação de Paul Bunnel Davidson e na biópsia do linfonodo encontramos hiperplasia com proliferação de imunoblastos.
Doença da arranhadura do gato: doença causada pela bactéria Bartonella hensenae, apresenta-se com linfadenites sub agudas geralmente na região cervical; a doença começa com a inoculação da bactéria através da arranhadura do gato. Trinta dias após a inoculação, aparecem os sintomas gerais como febre, dor de cabeça e mal estar acompanhados das adenomegalias que geralmente são fibroelásticas; em 35% dos casos a adenomegalia se torna supurativa.
 

Causas Neoplásicas

Neoplasias: os linfonodos podem estar aumentados quando são acometidos por neoplasias que podem ser primárias do órgão como as doenças linfoproliferativas ou metastáticas.Os linfonodos metastáticos do pescoço na maior parte das vezes são secundários a uma neoplasia que acomete o trato aerodigestivo superior.Quando os linfonodos de cadeias cervicais baixas estão acometidos (supraclaviculares) o tumor primário pode estar localizado nas mamas, pulmões, aparelho digestivo, órgãos reprodutores masculinos e femininos.As leucemias podem cursar com adenomegalias cervicais.
 
Outras afecções como as doenças de acúmulo (doença de Gaucher) podem cursar com adenomegalia cervical. Doenças autoimunes como a Doença de Kawasaki podem frequentemente ter a adenomegalia cervical como sintoma da doença.Causas de adenomegalias não relacionadas a neoplasias e infecções incluem reação ao uso de determinados medicamentos como fenitoína, pirimetamina, fenilbutazona, alopurinol, e isoniazida. Com frequência realizamos a biópsia do linfonodo para esclarecimento diagnóstico; pode ser realizada a punção aspirativa com agulha fina guiada por ultrassonografia e se necessário é realizada a excisão do linfonodo comprometido.
 


 



Comente esta Notícia