Busca

Blog



Postado às 9:00 de 12/08/2013
por Dr Roberto Elias
em Adenomegalia Cervical, Adenomegalia Cervical Infantil, Dr Roberto Elias, Tratamentos


 
Denomina-se adenomegalia cervical o aumento do tamanho dos gânglios linfáticos na região do pescoço que ultrapassam 1cm de diâmetro gerando carocinhos palpáveis. Presente em sua grande maioria em crianças, cerca de 30% das que possuem a doença a apresentam até o 6º mês de vida. O aumento dos linfonodos na maioria das vezes representa uma resposta transitória do sistema imunológico, mas é importante que ao detectar essa anormalidade a mesma seja avaliada e tratada com atenção pelo médico, pois pode apresentar algum tipo de infecção ou inflamação como amigdalite e faringite ou até mesmo ser sintoma de doenças mais graves como linfoma, leucemia, tuberculose, AIDS e histiocitose.
 
Ao diagnosticar a presença de adenomegalia é importante que o médico verifique a presença de outros sintomas juntamente com as protuberâncias no pescoço, como palidez da pele, aumento do fígado e baço, alargamento de mediastino, observada numa radiografia simples de tórax. Quando a adenomegalia encontra-se em tamanhos anormais, em grande número ou em múltiplas localizações o médico deve pedir a realização de exames complementares para esclarecimento diagnóstico como hemograma, radiografia do tórax e diversas sorologias, os quais darão uma noção da eventual causa da adenomegalia cervical.
 
A abordagem do gânglio suspeito inicialmente deve ser realizada com punção aspirativa com agulha fina e citologia oncótica do material aspirado, nos casos em que o linfonodo apresenta características suspeitas aos exames radiológicos comumente empregados como ultrassonografia e tomografia do pescoço; quando a punção for inconclusiva, está indicada a biópsia com a retirada completa do linfonodo.
 

 



Comente esta Notícia