Busca

Blog



Postado às 6:41 de 07/08/2013
por Dr Roberto Elias
em Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia de Tireóide, Dr Roberto Elias, Leucoplasia, Tratamentos


 
A leucoplasia é uma lesão que aparece na cavidade oral, caracterizada por uma placa ou mancha esbranquiçada na mucosa, que não pode ser removida por raspagem. A leucoplasia é definida como uma condição pré-maligna, com potencial de cancerização em torno de 4% dos casos diagnosticados. A lesão apresenta-se com textura lisa, rugosas ou verrucosas, podendo ser únicas ou múltiplas e de tamanhos que variam de alguns milímetros até leucoplasias que atingem toda a mucosa bucal; apesar do tamanho volumoso, geralmente não causam nenhum tipo de dor ou desconforto aos seus portadores.
 
O surgimento da leucoplasia é relacionado principalmente ao tabagismo e quando associado ao consumo de álcool as chances de ocorrência, assim como a de transformação maligna da doença se elevam. A leucoplasia apresenta-se com maior frequência em pacientes de meia idade, portadores dos vírus HPV ou HIV ou transplantados em decorrência de sua baixa imunidade corporal. Seu aparecimento também pode ser associado ao traumatismo crônico por dentes quebrados ou próteses mal adaptadas . Porém, na maioria dos casos a leucoplasia não tem um agente causal definido.
 
O diagnóstico da leucoplasia deve ser realizado através da biópsia que excluirá doenças de aparência semelhante como líquen plano, candidíase, reação liquenóide, displasia e carcinoma escamoso. É importante que os pacientes que recebem o diagnóstico de leucoplasia mudem alguns hábitos para que a lesão não se agrave e para se evitar que a mesma reapareça após o tratamento como suspensão do tabagismo e etilismo e procurar tratamento odontológico correto para corrigir falhas dentárias e próteses não adaptadas.
 
Diante do diagnóstico de leucoplasia, o tratamento aplicado para essas lesões consiste na ressecção cirúrgica para as lesões limitadas e pequenas. Nas lesões com dimensões maiores pode ser feito o seguimento e biópsias dirigidas nas áreas mais suspeitas.
 

 



Comente esta Notícia